Prefeitura revoga licitação com empresa de confecção que geraria 200 empregos em Beltrão

0
Evandro Junior

A Prefeitura de Engenheiro Beltrão revogou a inexigibilidade da licitação nº 011/2017, que concedia incentivo (aluguel) a empresa Pérola Negra Confecções EIRELI ME.

O aviso de revogação foi publicado no órgão oficial do município, na edição nº 9.779,  com data da última quarta-feira (07), e assinado pelo presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), Walmir Seguraço.

O contrato aprovado pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento  de Engenheiro Beltrão (CMDEEB), tinha vigência de 12 meses e a empresa geraria inicialmente 100 vagas diretas de emprego. Posteriormente, seria ampliado o número de vagas chegando a criação de 200 novos postos  de trabalho na cidade.

Como era uma época de crise e de recessão em todo o país, a chegada do empreendimento a Engenheiro Beltrão rendeu ampla mídia ao prefeito Rogério Riguetti, que se gabava de iniciar o seu mandato cumprindo uma das suas principais bandeiras da campanha eleitoral: a geração de empregos e renda.

Com toda pompa, o prefeito posou para fotos e fez um vídeo ao lado da proprietária da Pérola Negra, Roseni Silva, que seria próspera empresária do ramo de confecções com sua sede instalada em Cianorte, e com filial em São João do Caiuá.

Já em seu primeiro mês de atividade, a empresa enfrentou sua primeira crise e teve paralisada sua linha de produção, após atrasar o salário dos funcionários. Outras paralisações parciais foram registradas e frustraram os trabalhadores, que tinham na empresa a garantia do pão de cada dia.

Com a revogação do incentivo do pagamento do aluguel, fica indefinido o futuro e a permanência  da “Pérola Negra” no município. Todavia, ninguém da empresa se pronunciou a respeito.

A reportagem do Jornal Enfoque Regional (JER) entrou em contato com o presidente da CPL, para saber o motivo da revogação da Licitação. Porém, até o momento não recebeu nenhum retorno.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Digite seu nome