Após rebelião, Justiça promove mutirão carcerário na delegacia de Engenheiro Beltrão

0
Dr. Silvio Hideki no momento do atendimento aos detentos na delegacia ( foto: Jr. Garbim)
Evandro Junior

“A intenção do mutirão carcerário é de rever a situação de cada um dos 57 detentos, desafogando o setor de carceragem que está superlotado”

Durante essa semana, o Poder Judiciário de Engenheiro Beltrão iniciou um mutirão carcerário na cadeia pública da cidade.

O mutirão carcerário acontece exatamente uma semana após uma rebelião na carceragem da delegacia, ocorrida no último dia 30 de abril.

A ação foi conduzida pelo juiz de Direito, Dr. Sílvio Hideki Yamaguchi, e teve a parceria do Departamento Penitenciário do Paraná (DEPEN). A intenção do mutirão carcerário é de rever a situação de cada um dos 57 detentos, desafogando o setor de carceragem que está superlotado, com três vezes sua capacidade.

Os detentos foram atendidos um a um pelo juiz, e ficaram sabendo a real situação de seus processos judiciais, bem como o tempo de cumprimentos de suas penas.

Dr. Silvio Hideki esclareceu as dúvidas em relação ao processo judicial e  também orientou – os quanto aos seus direitos e deveres. Ele também  marcou as audiências de custódia para os próximos meses.

Os presos puderam fazer reclamações, denúncias ou reivindicações em relação ao tratamento, acomodações e alimentação dentro da cadeia.

Para o juiz Sílvio Hideki, a ação foi muito positiva e visou rever a situação carcerária e penal de cada detento, buscando esclarecer a motivação da última rebelião que colocou em risco a vida de todos.

“ Fiquei muito preocupado com a rebelião e tinha que vir aqui para entender o que estava acontecendo. Aproveitei para fazer o mutirão carcerário e conversar com cada um dos 57 detentos. Repassei informações e orientações sobre o processo de cada um dos internos, bem como seus direitos. Ouvi muitas coisas, que deverão ser averiguadas. Esse trabalho é importante para manter a tranqüilidade neste ambiente, que por si só já é muito carregado e tenso”, esclareceu o magistrado, que já havia promovido uma ação semelhante no mês de janeiro deste ano.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Digite seu nome